Seu filho 1-3 anos

Neste verão, o foco na linguagem


Neste verão, como mergulhar com seu bebê em um banho de comunicação e lhe dar vontade de conversar? Siga as sugestões de Marie-Josèphe Rancon, fonoaudióloga.

Verão: a oportunidade de ouvir melhor

  • Durante o ano, tudo passa rápido. E você nem sempre tem tempo para ouvir com calma o seu pequeno orador que encadeia sílabas aparentemente sem sentido, mostra as palavras ou conta suas histórias na mais completa bagunça!
  • Durante as férias, dê a ele esse tempo. O de desastrado, fazer tentativas sucessivas para chegar o mais próximo possível do som correto e construir suas frases. Para ouvi-lo, sente-se, não faça outra coisa ao mesmo tempo, observe-o com cuidado. Ele precisa sentir que é um interlocutor digno, digno da palavra.

Faça com que ele desfrute de um idioma variado

  • "Ensaboe-se!", "Coloque os sapatos!", "Guarde os brinquedos!" Na maioria das vezes, pressionado pelas emergências diárias, você usa vocabulário e gestos utilitários com seu filho.
  • Aproveite as férias para variar as formas de expressão, use um vocabulário mais rico e diversificado. Você pode começar uma história contando uma anedota relacionada a um lugar que você visita ou em uma descrição para compartilhar uma paisagem de caminhada.
  • Por que não colocar em palavras o que seu filho está fazendo, as emoções que você sente e assim por diante. Sua missão - se você a aceitar! - é transformá-lo em modelos falantes, em "fornecedores" de novas palavras e frases bonitas!

Lógica, coerência!

  • Aprender a falar exige um certo rigor: impossível colocar palavras ou frases em qualquer ordem, sem nenhum vínculo entre elas. Existem todos os tipos de maneiras de tornar essa coerência necessária compreendida pelo seu filho. Por exemplo, contando a história de sua família, conscientizando-o dos laços existentes entre ele e outras pessoas, entre gerações diferentes. Ou explicando o processo de transformação na natureza, como a semente se torna uma flor e depois um fruto, ou como a lagarta se torna borboleta.
  • Aproveite as viagens de verão para levá-lo a ver avós, tios, tias, primos e fazê-lo tocar nas sutilezas da árvore de sua família, contar a ele sua família. Durante as caminhadas, mostre a ele e diga como os animais e a natureza vivem e evoluem, se necessário, ajudando-o com pequenos livros de documentário.

Músicas ou canções de ninar?

  • Ambos, meu capitão! Cada uma dessas formas de expressão lúdica favorece a linguagem em uma criança. Músicas, graças ao vocabulário e estruturas de frases que eles contêm; mas também porque permitem que o significado passe pelas infinitas modulações da voz humana. As rimas, geralmente, são um treinamento muito bom em dicção e fonética. E então cantar juntos, recitar rimas com gestos, olhos nos olhos, um sorriso pendurado no bebê, é um prazer! Por que se privar?

Isabelle Gravillon

Nosso progresso na edição de verão